Madrid

Published on | by Suzana

0

Roteiro básico em Madri

Moro na capital espanhola há 9 anos e, sempre que algum amigo tem viagem marcada para cá e me pede dicas, eu dou um roteiro básico do imperdível da cidade. Depois, sobre o imperdível, a gente vai improvisando com as novidades, rotas específicas que eu gosto de mostrar (como a dos bares e cafés que existem desde 1800). Sou guia informal da cidade, estilo Free Walking Tour, então se quiser conhecer alguns lugares escondidos, é só me contatar e marcamos.

Vamos lá, dicas de Madrid: dá pra ver bem toda a cidade em 2 dias (sem museus), e em 3 com museus. O Prado é grátis todos os dias das 6 as 8, e o Reina Sofia é grátis no sábado à tarde (confirma isso antes de ir pra garantir). Então vocês podem acabar todos os dias no Prado se quiserem ver bastante coisa lá e de graça. Esses são os principais museus daqui e também os mais procurados.

Agora vamos à cidade. No primeiro dia vão direto pra Puerta del Sol, que é o centro de tudo. Depois sigam pra Plaza Mayor, e depois pro Mercado de San Miguel, que fica ao lado. Ali provem ostras se quiserem, ou as azeitonas, e tomem o vermut de grifo (1,50 euros) que virá com azeitonas também (se não vier, peça). É o lugar preferido de todo mundo que vem a Madrid atualmente. Dali sigam a rua entre o mercado e a plaza Mayor pra ir conhecer o restaurante mais antigo do mundo segundo o Guinness Book, que se chama Sobrinos de Botin (pelo menos por fora). Comer ali não é caro e é cozinha tradicional (leitão assado, pobrezinho), mas tem que reservar antes pela internet. Voltem para Sol e vão descendo a calle Arenal (de pedestres). Lá na frente vocês terão o Teatro Real (Opera), e atrás dele a Plaza del Oriente e o Jardin de Sabatini, o Palacio Real e a Catedral de Almudena. Dali cruzem à Praça de España e reservem pra ver o por do sol no Templo de Debod, meu lugar preferido de Madrid. Esse templo fica num parque que está do lado da Plaza de España (nessa praça, aliás, estão as estátuas de Dom Quixote, Sancho Pança e Miguel de Cervantes).

No dia seguinte caminhem pela Gran Via toda pro lado oposto da Plaza de España, até chegar na Plaza Cibeles e Palacio de las Comunicaciones. Dali sai o Paseo del Prado, que leva até os museus. Sigam e mais à frente vocês vão ver a Puerta de Alcalá e a entrada pro Parque del Retiro. Entrem no parque e vejam o lago com os barquinhos e mais à frente o Palácio de Cristal, que é parecido ao jardim botânico de Curitiba. Busquem no mapa do parque (ou no Google maps) pra achar ele, já que está meio escondido. Ali perto do parque também está a estação de Atocha, que tem uma estufa com plantas e tartaruguinhas dentro. E perto dali tem o bairro de Lavapiés, onde vivem os indianos e africanos e tem excelentes restaurantes indianos.

Abusem das tapas, vão aos Museus del Jamón e peçam um prato com todos os tipos de jamón (se não forem vegetarianos), a tapas (ou aperitivos) são o melhor de Madrid. Exemplo: pimientos del padrón, huevos rotos con jamón, pulpo, calamares (comam o bocadillo de calamares no bar La Ideal em um dos arcos da Plaza Mayor). E comam o Churros con Chocolate na chocolateria San Ginés, que fica entre a Calle Mayor e a Arenal, numa ruazinha ao lado de uma igreja da calle Arenal. Eu sou boa guia de tapas e bebidinhas, mais do que de restaurantes, como vocês podem ver. Mas essa é a essência de Madrid e da Espanha. Bienvenidos!

 

 

Tags: , , ,


About the Author

Jornalista e travel blogger. Aprende o que o mundo ensina e inspira as pessoas a viajarem. Já morou na Finlândia, já trabalhou na Disney, fez o Caminho Inca e foi como peregrina a Santiago de Compostela algumas vezes. Vive atualmente em Madri e continua transformando seus feriados e férias de 23 dias ao ano nos melhores períodos da sua vida.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • DESTAQUES DO MÊS

  • HOTÉIS MAIS BARATOS NO BOOKING

    Booking.com