Buen Camino caminho de santiago de compostela de bicicleta

Published on | by Suzana

1

Caminho de Santiago de Bicicleta

A maioria dos peregrinos (91%) decide percorrer o Caminho de Santiago a pé, segundo dados da Oficina do Peregrino. Somente 8%, em média, decidem fazer o Caminho de Santiago de bike.

Como em bicicleta pode-se percorrer distâncias mais longas, geralmente quem vem do Brasil decide fazer o Caminho Francês desde Saint Jean de Pied de Port até Santiago, pra ficar pelo menos 2 semanas e compensar ter cruzado o oceano e o preço das passagens aéreas. Quem mora na Europa decide quantos dias tem para as suas pedaladas e o trecho que vai querer fazer, tanto do Caminho Francês como do Caminho Português, o segundo mais popular. Segundo as estatísticas, aproximadamente 65% das pessoas escolhem o Caminho Francês, seguidas por 15% que decidem pelo Português.

Grupo de bicicleta nos Pirineus do Caminho Francês

No meu caso, eu sempre preferi peregrinar a pé. Gosto de parar muitas vezes pra fazer fotos, gosto de conversar com outros peregrinos enquanto caminho, e gosto de ir avançando lentamente. Geralmente uso a bicicleta pública em Madrid, onde vivo, para me deslocar pela cidade e nunca fiz uma rota mais longa, mas simpatizo bastante com a ideia. Tampouco descarto a possibilidade de ir ao Caminho algum dia como bicigrina (nunca diga nunca!), mas por enquanto, eu ando a pé, no meu ritmo, e vou mais devagar que os de bike.

caminho de santiago de compostela

Eu (de azul) e Luti (de rosa) no Caminho Francês em 2014: peregrinas que viram amigas graças ao Caminho

Acho muito bacana quem faz percursos em bicicleta nas suas viagens pelo mundo. Por isso adorei quando minha amiga peregrina Luti Loro, que conheci durante o Caminho em 2014, aceitou a minha proposta de fazer a cobertura em vídeos quando voltou ao Caminho 2 anos mais tarde, dessa vez como bicigrina. Ela e o seu grupo iam registrando no celular alguns trechos enquanto avançavam, depois me enviavam os vídeos pelo whatsapp (viva a tecnologia) e eu editava e colocava online, para que suas famílias e amigos tivessem um resumo de cada jornada.

Primeiro carimbo em SJPP

Primeiro carimbo no Accuel em SJPP

Minha amiga peregrina é de Dourados, no Mato Grosso do Sul, e conta que não estava nos seus planos voltar ao Caminho. Mas ela começou a ajudar um casal a se preparar e a montar a rota que iam seguir, e começou a ter vontade de ir com eles. Conflitos na vida pessoal e uma autorização no trabalho pra tirar férias foram o sinal que ela precisava pra se decidir.

Eles escolheram o Caminho Francês e, assim, ela faria uma releitura dessa rota. Luti diz que nunca faria o Caminho de Santiago de bicicleta sozinha porque é preciso saber um pouco sobre mecânica de bikes, coisas que ela não tinha vontade de aprender naquele momento. Todos os detalhes da viagem, incluindo como enviar a bicicleta, foram decididos em 1 mês, e outro casal se uniu ao grupo. Antes de partir, Wilian, Yuli, Clediz, Ana e Luti foram pedir a benção em um Santuário perto de onde moram, já que todos são católicos. Todos estavam com muita expectativa por esse contato religioso/ espiritual que o Caminho ia permitir.

bênção antes de partir para o Caminho de Santiago

E a Luti me autorizou fazer um post com todos os vídeos de maneira ordenada, para ajudar aos futuros bicigrinos na busca de informações e principalmente do número aproximado de etapas. É claro que cada um decide quanto tempo pedalar e onde parar, de acordo com o que quer ver ou fazer no Caminho (incluindo dias de descanso), mas é bacana ter parâmetros para usar como exemplo.

Falando em descanso, deixamos um link com dicas de albergues privados e hotéis em cada etapa, caso você não queira ficar nos municipais por falta de lugar ou porque quer uma noite só para si com mais conforto 😉

Peregrinos em Roncesvalles, no Caminho de Santiago

Com vocês, o Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu, que teve apoio da #probikebrasil, #planetaintercultural e #pedaldalidy.

Como fazer o Caminho de Santiago de Compostela de bicicleta

Dia 1: Sain Jean Pied de Port a Espinal (30,9 Km)

O grupo de 5 amigos saiu de Saint Jean com um dia espetacular de sol. Eles escolheram seguir pela mesma rota dos peregrinos a pé, em lugar de ir pela estrada. Pararam bastante para descansar e para cuidar das cãibras que apareceram. Luti explica que ela fez mais força do que da outra vez, porque tinha o peso do seu corpo mais o peso da bicicleta. Mas a vista a 1229 metros de altitude compensou tudo!

Dias 2 e 3: Espinal a Pamplona (34,8 Km); Pamplona a Ayegui (50,7 Km)

Como choveu muito no segundo dia, não foi feito nenhum vídeo, mas esse 3º dia, em compensação, está demais! O grupo foi o último a sair do albergue em Pamplona e passaram pelo Alto do Perdão, Eunate e Puente de la Reina, que são os lugares mais emblemáticos da etapa de hoje. Ultreya!

Dia 4: Ayegui a Logroño (52,6 Km)

Na 4ª etapa, entre Ayegui e Logroño, teve subidinhas (como não?), retas tranquilas, um grande aprendizado e uma parada no serviço técnico pra dar uma geral nas bikes. “Pra quem acha que o Caminho é difícil, realmente ele é, mas as pessoas que a gente cruza nele fazem a gente ter força e entender que o Caminho é uma peregrinação muito espiritual também, olha o exemplo ali”. É preciso ver o vídeo para entender a lição do dia 😉

Dia 5: Logroño a Redecilla del Camino (68,5 Km)

De Logroño a Redecilla del Camino o tempo melhorou bastante e o grupo passou por vinhedos, ouviu música brasileira tocada no violão de um peregrino, fez reflexões sobre a vida em uma interminável reta (que é boa para isso mesmo) e conheceu um senhor que faz o Caminho na companhia dos seus 3 cachorros. Sempre vale a pena parar pra conversar com quem está na mesma estrada e aproveitar as surpresas do Caminho! Ultreya!

Dia 6: Redecilla del Camino a Burgos (66,3 Km)

E a peregrinação da Luti Loro e seus amigos continua na maior sintonia! No 6º dia o grupo pedalou entre Redecilla del Camino e Burgos. Em Belorado eles receberam a bênção do padre, tomaram café da manhã aproveitando o sol na praça, e durante o caminho encheram as garrafas nas fontes de água fresquíssimas, foram surpreendidos por ovelhas cruzando a pista e por uma mesa com frutas e outros quitutes em troca de “donativo”. O Caminho continua mágico e colorido e nós continuamos nos maravilhando com as lindas imagens que a Luti nos envia.

Dia 7: Burgos a Castrojeriz (41,2 Km)

Na sétima etapa do Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu o grupo visitou a Catedral de Burgos, que a Luti Loro recomenda muito (peregrinos pagam 3,50 euros e recebem um audio-guia). Depois, já na estrada, pararam pra ver as ruínas da igreja de Santo Antônio e finalmente chegaram a Castrojeriz. A Luti deu de presente aos seus amigos uma visita ao Hospital del Alma – calma, ninguém estava machucado, mas uma paradinha pra cuidar da alma faz bem… Confiram o vídeo pra entender tudo isso melhor 😉

Dias 8 e 9 : Castrojeriz a Calzadilla de la Cueza (66 Km); Calzadilla de la Cueza a León (79 Km)

Nos dias 8 e 9 do Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu o grupo pegou alguns trechos de estrada e chegou até Sahagun, que é considerado o centro geográfico do Caminho Francês (e tem até um monumento para marcar o lugar). Foram 68Km entre Castrojeriz e Calzadilla de la Cueza, e 80 Km entre Calzadilla de la Cueza e León. Fez frio, choveu, depois abriu o sol, depois caiu até chuva de granizo! Mas todos chegaram são e salvos (e bastante cansados) a León. Agora é repor as energias pra continuar! Bom Caminho!

Dia 10: León a Hospital de Órbigo (32,1 Km)

That Good Trip continua pegando carona #namochiladalu (nesse caso no alforje) para contar como está sendo a experiência de fazer o Caminho de Santiago de Bike do grupo do Wilian, Yuli, Clediz, Ana e Luti Loro. Na 10ª etapa eles pedalaram de León a Hospital de Órbigo. Nesse vídeo temos 2 depoimentos emocionantes sobre a Catedral de León, depois um percurso longo, rápido e com trilha sonora de pássaros pelas florestas encantadas do Caminho, até que o grupo chega ao Albergue Verde, um oásis de paz e tranquilidade, recomendadíssimo! A Luti lembra que foi lá que a gente teve a chance de conversar bastante e saber mais uma da outra em 2014, quando peregrinamos pela primeira vez de Saint Jean Pied de Port a Santiago (a pé).

Dia 11: Hospital de Órbigo a Astorga (17,8 Km)

Para compor o vídeo do 11º dia de Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu, nós deixamos um pouco mais do gostinho da música tocada no violão pelos hospitaleiros do Albergue Verde enquanto o jantar era servido 🙂 o grupo da Luti Loro saiu de Hospital de Órbigo e fez uma parada estratégica em Astorga ainda de manhã pra visitar as ruínas da Ruta Romana, um conjunto de escavações que vale a pena ver – afinal, o Caminho também é cultura! Ultreya!

Dia 12: Astorga a Ponferrada (56,9 Km)

A etapa que compartilhamos hoje vai de Astorga a Ponferrada e corresponde ao 12º dia de Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu. Hoje a rota foi pela rodovia, ao lado da rota dos peregrinos a pé. É um dos trechos que eu mais gosto do Caminho, porque passa pela emocionante Cruz de Ferro, onde já estive 2 vezes vendo o amanecer e onde fui hospitaleira voluntária. E a Luti Loro no final se separa dos seus companheiros para rever o seu “pai do Caminho”, um senhor que lhe hospedou há 2 anos em Ponferrada e que agora ela voltou a ver (e até gravou video pra registrar o reencontro). Emoção pura! Ultreya peregrinos!

Dia 13: Ponferrada a La Faba (48,5 Km)

No 13º dia de Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu o grupo sai de Ponferrada e, mais adiante, começa a subida do Cebreiro. Eles decidem parar no albergue de La Faba, a 900m de altitude. Apesar de terem optado pela rota própria pra bicicleta (já que a outra é quase impraticável pra quem vai em 2 rodas), em muitos trechos tiveram que empurrar a bike ladeira acima. Mas já falta menos pra chegar a Santiago! Aproveitem bem a paisagem, bicigrinos! Ultreya!

  • La Faba não tem albergues privados

Dia 14: La Faba a Sarria (47 Km)

Já deu pra reparar que no 14º dia de Caminho de Santiago de Bike #namochiladalu está todo mundo super descontraído, leve e com um “encantamento” generalizado pelas vistas, pelo nascer do sol, tanto que o cansaço parece que ficou em segundo plano. A subida de La Faba ao Cebreiro (e a entrada triunfal na Galícia) veio acompanhada de muito sol e felicidade. Nas imagens dessa etapa as palavras sobram – o negócio agora é contemplar e saborear o máximo possível os últimos dias do Caminho. O gran finale do dia de hoje é a visita ao Mosteiro de Samos. Bom Caminho a esses valentes peregrinos que estão chegando perto da reta final no Campo das Estrelas!

Dia 15: Sarria a Palas de Rei (51,8 Km)

O grupo #namochiladalu já está no seu 15º dia de Caminho de Santiago de Bike, e hoje eles pedalaram de Sarria a Palas de Rei. O Wilian, a Yuli, o Clediz, a Ana e a Luti notaram bastante diferença nessa etapa, com muito mais peregrinos no caminho, já que Sarria é um dos lugares escolhidos por muita gente pra começar o Caminho de Santiago. Esse é o trecho mínimo (115 km) para que você tenha direito a receber a Compostela, que é o diploma escrito em Latim que atesta que você fez a peregrinação. A Galícia, como sempre, dá um show de natureza e de campos verdinhos a perder de vista. E, no final da etapa, uma merecida “caña” (cerveja) com pimientos de padrón pra relaxar e se preparar para as emoções finais dessa aventura. Buen Camino, amigos!

Dia 16: Palas de Rei a Monte do Gozo (69,1 Km)

Nossos amigos bicigrinos nos mostram hoje o tamanho e capacidade dos alforjes que eles levaram nas suas bicicletas durante o Caminho. Alguns sacos de dormir ficaram de fora e foram devidamente encapados pra não molhar com a chuva. Hoje eles pedalaram de Palas de Rei a Monte do Gozo, que está a 5km de Santiago de Compostela. Eu costumo dizer que é tortura dormir tão perto e não chegar (e já fiz isso 2 vezes), mas o albergue de Monte do Gozo é bastante espaçoso e silencioso, então vale a pena acordar cedinho e chegar a Santiago sem pressa e bem descansados. Amanhã é o grande dia! Estamos na expectativa 🙂

Dia 17: Monte do Gozo e chegada a Santiago de Compostela (4,9 Km)

E finalmente chegou o tão esperado dia! O Caminho de Santiago de Bike do Wilian, Yuli, Ana, Clediz e Luti Loro acaba com saldo positivo: 820 Km rodados, nenhum pneu furado, 2 paradas pra manutenção das bikes, nenhuma lesão em ninguém do grupo, nenhuma tensão e muita alegria! Como o grupo mora em um lugar muito plano, quando o treino é forte, o ganho altimétrico chega a 400 m. Já no Caminho o ganho mais fraco era de 400 m – e a média ficou além disso. Valeu a pena todo o esforço? Acompanhe no vídeo a chegada e o depoimento de cada um dos aventureiros. Agora, sim, começa o verdadeiro Caminho. Obrigada à equipe por contar pra gente o dia a dia de um bicigrino e a todos por acompanhar essa emocionante peregrinação em duas rodas pelo Caminho de Santiago. Ultreya!

Se esse post foi útil, siga-nos também no Facebook e Instagram, onde sempre incluo temas relacionados ao Caminho de Santiago e outras viagens incríveis pelo mundo. Se tiver qualquer dúvida sobre o Caminho de Santiago em Bicicleta, é só escrever nos comentários 🙂

Vai voar a Madrid e precisa de um transfer do aeroporto até o hotel ou estação de trem? Clique na imagem abaixo e faça uma cotação com o nosso parceiro 😉

Serviço de transfer do aeroporto de Madrid ao centro

Tags: , ,


About the Author

Jornalista e travel blogger. Aprende o que o mundo ensina e inspira as pessoas a viajarem. Já morou na Finlândia, já trabalhou na Disney, fez o Caminho Inca e foi como peregrina a Santiago de Compostela algumas vezes. Vive atualmente em Madri e continua transformando seus feriados e férias de 23 dias ao ano nos melhores períodos da sua vida.



One Response to Caminho de Santiago de Bicicleta

  1. Viajento says:

    Tenho pesquisado sobre o tema e pensado em fazer o caminho de bicicleta também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to Top ↑
  • DESTAQUES DO MÊS

  • HOTÉIS MAIS BARATOS NO BOOKING

    Booking.com